Sabão de pedra caseiro e a Arte do Encontro

Celina Simões – Veio estar comigo a Penha. Disse ela com lentidão, que a última pedra de sabão caseiro feito pela nossa mãe ia ser colocada para uso e mais disse ela: isso dá uma crônica. Penha é minha irmã mais velha. Nasceu em 1946 e ser irmã mais velha no seio de uma proleContinuar lendo “Sabão de pedra caseiro e a Arte do Encontro”

A esfinge e o colibri

Arlete Mendes – Tenho o hábito de tentar entender meus sonhos, ainda que muitos deles sejam esfinges devoradoras. Tenho sido despedaçada ao longo dos anos pela falta de compreensão dessas imagens. Talvez não somente pelos sonhos, mas pela própria vida. Olho para as mãos, há muitas cicatrizes, mas a maior delas é aquela que meusContinuar lendo “A esfinge e o colibri”