AGORA

por Ana Karina Manson Exijo agora e decreto Meu abraço de volta Meu amigo aqui perto Mão com mão Ninguém solta Está determinado Qualquer beijo roubado Será livre, será cura E o coração apertado Se renderá à loucura. É lei desde agora Que nenhum amor vá embora Que nenhuma dor se demore Fica proibido partirContinuar lendo “AGORA”

CHUVA NA PANDEMIA

Texto publicado originalmente em 04 de outubro de 2020 Shirlei do Carmo- Olhei os pingos da chuva escorrendo no vidro da janela do quarto, enquanto lembrava das gotas de suor que banharam nossos corpos, num dia como esse, em  que fechei a janela e as rachaduras no teto se misturaram no emaranhado dos lençóis deContinuar lendo “CHUVA NA PANDEMIA”

Festa, festa. festa…

Carolina Tomoi- Festa, festa, festa… o que poderia ser melhor que uma boa festa? É certo que as melhores são aquelas que simplesmente acontecem. Todo bom festeiro sabe como é: bastou o cansaço da semana, calor ou frio, não importa. Mas no calor dá para espalhar a galera no quintal. Cada um traz sua meiaContinuar lendo “Festa, festa. festa…”

Desobediências

Ana Karina Manson Ela teve dois filhos de um casamento que durou pouco. Ficou viúva. Viúva. Mulher viúva, jovem, naquele tempo, não podia. As pessoas podiam falar. E também como sustentar as duas crianças sozinha? As poucas oportunidades que apareciam eram para mulheres solteiras e sem filhos. Ela era um ser estranho na sociedade hipócrita,Continuar lendo “Desobediências”

Chuva na pandemia

Shirlei do Carmo- Olhei os pingos da chuva escorrendo no vidro da janela do quarto, enquanto lembrava das gotas de suor que banharam nossos corpos, num dia como esse, em  que fechei a janela e as rachaduras no teto se misturaram no emaranhado dos lençóis de algodão e emolduraram as asas do corpo. Por instantesContinuar lendo “Chuva na pandemia”

Olho mágico

Juliana da Paz– Confesso!Eu fico espiando vocêpelo olho mágicoda porta do meu apêEnquanto você fumaOlhando horizonteDo apartamento em frentena janela do hallDo meu prédioFaço disso uma espécieDe remédioQuando você vai emboraE bate um tédioVou até o olho mágicoDevia experimentar…Eu espioE você está láMirando a janelaDo horizonteDo prédio 7Que fica em frente.

7-GATO-13

Carolina Tomoi – Onde andas? a bailarina preta e rosa hoje guerreira de foice e enxada na mão. 9343-1420. Teu silêncio me cala Tua ausência me rasga Nem tudo saiu como planejado Nossas missivas ad aeternum Só perpetuaram nos sonhos entre pipocas e gelados (que eles sim valiam a humilhação) A garota roendo gelo eContinuar lendo “7-GATO-13”

Abraços

por Ana Karina Manson “Não aguento mais ficar aqui como uma margarida num jardim de móveis”, disse a menina cansada de ficar em casa. Ela sabe das razões desse isolamento, é inteligente, sabe que precisa se proteger e sabe mais ainda: precisa proteger aos outros, principalmente os mais velhos; principalmente sua avó querida. Há entreContinuar lendo “Abraços”