Subida dos ossos

Por Raíssa Padial Corso O lenço acolhe minhas pernas do chão lamacento, o lenço acolhe a formiga do possível sereno, os primeiros grãos da terra acolhem uma sementinha que plantei ontem, telúricos ciscos abrigam minhocas, mais adentro um mundo subterrâneo de túneis formigosos. Mais adentro, veios d ´aguas, correntezas, minérios, chumbos, mercúrios, alentos de guardaContinuar lendo “Subida dos ossos”

Cápsulas de serenos

Por Raíssa Padial Corso Mesmo diante da clareira, um suspiro, dois suspiros. Mesmo caindo pelas tampas em qualquer botequeira campo limpense. Mesmo assinalando com devoção todos os textos, para formarem -se referências dentro da própria retina. A resposta ainda era Não. Mesmo assaltando sempre o próximo minuto, o próximo acerto, concordando com a cabeça queContinuar lendo “Cápsulas de serenos”