Menino-pai

Ana Karina Manson A ideia de perder meu pai é algo que não consigo explicar, menos ainda entender. Como entenderia viver neste mundo sem a pessoa que me protege, me defende? É contraditório: foi ele quem me ensinou o que é certo, mas me defende mesmo quando estou errada. Costumo pensar em tudo que eleContinuar lendo “Menino-pai”

As dores não são imaginárias

Ana Karina Manson As amigas de escola da minha caçula se tornaram “amigas imaginárias”. Ao longo do dia a pequena brinca e conversa com elas como se estivessem ao seu lado. Saudades dos dias de escola. São tempos de pandemia; amigos imaginários, amores imaginários, abraços imaginários. Queria escrever sobre o poder de nossa imaginação emContinuar lendo “As dores não são imaginárias”