GRAFIAS DE MULHER

Texto publicado originalmente em 06 de dezembro 2020. “A noite não adormece nos olhos das mulheres”  Conceição Evaristo Solange Amorim- Ela caminhava ofegante e seu corpo parecia ranger. Carregava um cansaço imenso. Cabelos  curtos e grisalhos, olhos pequenos e nevoados,  avermelhados pela acidez de São Paulo. A retina esquerda aparentava conter uma pequena cicatriz que Continuar lendo “GRAFIAS DE MULHER”

Grafias de mulher

Solange Amorim- “A noite não adormece nos olhos das mulheres”  Conceição Evaristo Ela caminhava ofegante e seu corpo parecia ranger. Carregava um cansaço imenso. Cabelos  curtos e grisalhos, olhos pequenos e nevoados,  avermelhados pela acidez de São Paulo. A retina esquerda aparentava conter uma pequena cicatriz que  diferenciava um olho do outro.  A angústia saltavaContinuar lendo “Grafias de mulher”

Terra longe

-Mara Esteves Alumiou no céuLua cheia rodeada de estrelasdas mais brilhantes já vistasiluminando igual Candeeiro Semi-deuses e seus sonhos solitários. Fagulhas queimam e desaparecemnum piscar de olhosgotículas de orvalho que escorrem das folhasna primeira hora do diadesejosas de encontrar o mar. O olhar mira horizontesque não estão ao alcance,janela aberta para esperançar. O obituário naContinuar lendo “Terra longe”

Para meus ancestrais

Elisa Dias – Eu tinha sonhos que para uma menina de pés descalços não era permitido sonhar. E nunca entendia porque minha mãe sempre entrava acuada nos lugares, abaixava a cabeça e dizia “sim senhor”, ou porque aquela família branca a apadrinhou,  arrancada de sua casa das matronas de Minas Gerais, ou porque virou paraContinuar lendo “Para meus ancestrais”