BANHO DE MAR

Texto publicado originalmente em 15 de maio de 2020. Celane Tomaz- Era uma tarde de outono quando decidiu expor sua raiz. O céu já estava  assimétrico, retocado e abstrato em azul- lilás e alaranjado ardente. Assim  também seu corpo – folha seca, porém intacta, resistindo a varredura do caos. Talvez sua pele pálida precisasse deContinuar lendo “BANHO DE MAR”

Feitiço da lua

Ana Karina Manson — Puruba que é bom! – gritava aquela gente que ousava ser feliz. Era mesmo muita ousadia viver sem quase nada do que o tal mundo moderno inseriu em nossas vidas, que sem perceber achamos natural ter celular, ter micro-ondas, ter cremes, ter maquiagens, ter computadores e outros como se fosse essencial,Continuar lendo “Feitiço da lua”

Náufragos

Arlete Mendes- Às vezes produzo diálogos que são garrafas lançadas ao mar. Lanço-me na esperança de resposta. Espera, pausa, nunca esquecimento. — Mulher, você é uma obra. Não completou a frase. De arte? De construção? Do demo? Quanto tempo já se passou? Éramos dois apartados, doloridos como quem acaba de enterrar um dos seus, golpeContinuar lendo “Náufragos”