Maioridade Materna

Carolina Tomoi – Às de colo vazio, latente Aos que perderam o colo. Creio num momento no corpo da mulher que uma voz tão intensa fala tão alto uníssono a cada célula de seu corpo que é difícil resistir. A maioria não resiste. Algumas nem tomam ciência que seja possível desistir, deixam o corpo asContinuar lendo “Maioridade Materna”

Quem pode escutar o corpo ?

Jesuana Sampaio – Todo mês meu corpo reclama porque ainda não sou mãe. Os seios reclamam em displasias por ainda não terem alimentado a boca faminta de uma criança. O útero sangra em cólicas paralisantes que sinalizam algo de errado no fluxo. Todo mês eu luto para não endemonizar meu ciclo, para entender meu corpoContinuar lendo “Quem pode escutar o corpo ?”

As dores não são imaginárias

Ana Karina Manson As amigas de escola da minha caçula se tornaram “amigas imaginárias”. Ao longo do dia a pequena brinca e conversa com elas como se estivessem ao seu lado. Saudades dos dias de escola. São tempos de pandemia; amigos imaginários, amores imaginários, abraços imaginários. Queria escrever sobre o poder de nossa imaginação emContinuar lendo “As dores não são imaginárias”

Algo mais bonito que o amor

Jesuana Sampaio – Fiquei a pensar sobre o infinito e não só, sobre algo mais bonito que o amor. Talvez só algo mais bonito que o amor possa explicar o infinito. Isso ficou dentro de minha memória poética por muitos anos. Hoje sei,  só há algo mais bonito que o amor capaz de explicar oContinuar lendo “Algo mais bonito que o amor”

Mãe Autônoma

Thata Alves – Impressionante o quanto A guarda dos filhos é da mulher Ora se não é? Quando há a separação quem que fica com a prestação do inalador que não sara a dor dessa ferida Fica aberta Pingando sangue E se não fosse o bastante A saúde mental da mulher Sofre Porque ela aContinuar lendo “Mãe Autônoma”