Janelas

Por Jesuana Sampaio Caminham no teu rosto bonito os meus dedos na tentativa de gravar nas minhas digitais teus desejos. Encosto o meu terceiro olho no teu e a lua nos confidencia que está cheia em gêmeos. As janelas das nossas almas, abertas. Tanto encanto, tanto! Tanto que o balançador da praça foi nosso confidente,Continuar lendo “Janelas”

Chamado às inteirezas

Por Jesuana Sampaio Te peço, ama as minhas sombras. Ama as minhas sombras porque as minhas luzes muitos hão de amar. Te peço, ama as minhas fraquezas. Ama as minhas fraquezas, meu mau-humor matinal e minha preguiça de acordar cedo, às vezes. Te peço, ama a minha solitude. Ama a minha solitude e a minhaContinuar lendo “Chamado às inteirezas”

Coração Mundo

A romã que cai o fruto antes de madurar Me diz que tudo bem não estar pronta às vezes. A murta quando me conta que a chamam de falsa dama da noite Me lembra que isso é só o que dizem sobre ela. O cedro quando lamentam suas folhas espetarem de leve Me diz queContinuar lendo “Coração Mundo”

Ruar

Jesuana Sampaio Por eu ser terra não queira me ver com raízes fincadas em um único solo Minhas raízes já se espalharam. O mundo é minha casa. Já estou na copa de minha árvore Sendo levada pelo vento Para outras pairagens. sou terra e sonho acarinhar todos os solos sem fronteiras, sem arames nem farpas.Continuar lendo “Ruar”

Ser Eu

Jesuana Sampaio – Quando cheguei a 4 anos atrás para moram em São Paulo, trazia os olhos inchados de tanto choro desaguado na noite anterior de um setembro beirando a primavera. Trazia também a culpa e o sentimento latente de que eu estava sendo egoísta. Nunca precisou ninguém me julgar, sempre fui juíza feroz deContinuar lendo “Ser Eu”

Quem pode escutar o corpo ?

Jesuana Sampaio – Todo mês meu corpo reclama porque ainda não sou mãe. Os seios reclamam em displasias por ainda não terem alimentado a boca faminta de uma criança. O útero sangra em cólicas paralisantes que sinalizam algo de errado no fluxo. Todo mês eu luto para não endemonizar meu ciclo, para entender meu corpoContinuar lendo “Quem pode escutar o corpo ?”