retrato de domingo

por Celane Tomaz dos dias que são retratos do ser. das sensações e percepções que nos traduzem. o domingo acordou assim, como sempre, no silêncio estendido. um despertar demorado, um cansaço invisível. outro tempo incontável ou um viver sem ele, que não nos obriga neste agora a uma razão ou um sentido. se respira, apenas.Continuar lendo “retrato de domingo”