DAMIANA

Texto originalmente publicado em 25 de outubro de 2020. Mara Esteves- Damiana era exímia em roubar frutas do pé.  Pulava muros, cercas e trepava em galhos finos. Enfrentava sem medo todos os obstáculos em sua frente, mesmo que para isso fosse preciso fazer malabares no ponto mais alto da copa de uma árvore, se equilibrandoContinuar lendo “DAMIANA”

Damiana

-Mara Esteves Damiana era exímia em roubar frutas do pé.  Pulava muros, cercas e trepava em galhos finos. Enfrentava sem medo todos os obstáculos em sua frente, mesmo que para isso fosse preciso fazer malabares no ponto mais alto da copa de uma árvore, se equilibrando e segurando com uma mão um dos galhos paraContinuar lendo “Damiana”

Quando crescer quero ser colibri

Arlete Mendes- Colibri faceiro beijou quase todas as roxinhas flores do jacarandá, pequenos sinos a badalar sobre o azul imenso daquela manhã, a pequena vibrando com a chegada inesperada, presencia a queda, lá do alto, de um dos sinos mais vistosos. — E agora, mãe, o beija-flor matou a flor, não é que não podeContinuar lendo “Quando crescer quero ser colibri”