BANHO DE CANEQUINHA

Texto originalmente publicado em 3 de agosto de 2020. Carolina Tomoi- Abaixo para encher a canequinha, vejo vaporzinho subindo do balde de água cristalina. Sinto a água morna escorrendo pelos ombros, afago quentinho e único enquanto o resto do corpo sente os arrepios com o frio ambiente. Quero mais e repito a operação duas trêsContinuar lendo “BANHO DE CANEQUINHA”

ciclos

Carolina Tomoi- Penso na lua, nos ciclos, nas cheias. Meu ventre inflando mensularmente. Seios arredondados ao extremo do intocável, precisam de apoio para seustentar além da gravidade. Tão grave não poder conviver consigo tendo que ser gentil com os outros. Fogos de hematortifício povoam as entranhas, se ouvem de longe seus estrondos. Contorces contrações contravenções.Continuar lendo “ciclos”

Banho de canequinha

Carolina Tomoi- Abaixo para encher a canequinha, vejo vaporzinho subindo do balde de água cristalina. Sinto a água morna escorrendo pelos ombros, afago quentinho e único enquanto o resto do corpo sente os arrepios com o frio ambiente. Quero mais e repito a operação duas três vezes, até que todo corpo se aqueça. Me tomaContinuar lendo “Banho de canequinha”