VINTE-VINTE.

Ontem vivi um ano de 365 dias. Ainda flutuam na minha cabeça todas as formas e cores que estavam presentes. Estão ainda no meu nariz a falta de amor vivida neles e, nos meus olhos, a falta de tato com a vida a que esse ano sobrevivi.             Pedacinhos de alegria grudaram os dias unsContinuar lendo “VINTE-VINTE.”

Para um novo Brasil

-Mara Esteves Agua de chuva para abençoar um Brasil de todes, mátria amada, colo de mãe que acolhe os Brasis, em descanso protegido, e não mortos pelos fuzis empunhados pelo Estado, carregados de munição ou omissão, estratégias para um mesmo objetivo: matar suas gentes diversas. E a elite brasileira, essa pequena nefasta, composta por poucosContinuar lendo “Para um novo Brasil”

Feitiço da lua

Ana Karina Manson — Puruba que é bom! – gritava aquela gente que ousava ser feliz. Era mesmo muita ousadia viver sem quase nada do que o tal mundo moderno inseriu em nossas vidas, que sem perceber achamos natural ter celular, ter micro-ondas, ter cremes, ter maquiagens, ter computadores e outros como se fosse essencial,Continuar lendo “Feitiço da lua”

Virada de ano em Maceió

Juliana da Paz – Foi uma noite de festa. Toda nossa pequena rua Marcos Aurélio na casa da Vânia, esposado finado Cícero. Lá sempre ocorriam grandes festas com forró e axé das 19hs às 4hs da manhã. Todas as famílias da ruazinha comungavam da falta de solidão. Tinha caldo de mocotó, sarapatel, cerveja refrigerante, muitosContinuar lendo “Virada de ano em Maceió”