AGORA

por Ana Karina Manson Exijo agora e decreto Meu abraço de volta Meu amigo aqui perto Mão com mão Ninguém solta Está determinado Qualquer beijo roubado Será livre, será cura E o coração apertado Se renderá à loucura. É lei desde agora Que nenhum amor vá embora Que nenhuma dor se demore Fica proibido partirContinuar lendo “AGORA”

GOTAS

por Ana Karina Manson Quando vejo a amiga que se diz improdutiva gerando vida em forma de frutos, flores e hortelã Goteja esperança em mim. Quando vejo uma senhora de 98 anos recém-nascer ao se vacinar contra o mal avassalador do qual a política se armou Goteja esperança em mim. Quando vejo mulheres gerando filhosContinuar lendo “GOTAS”

Festa, festa. festa…

Carolina Tomoi- Festa, festa, festa… o que poderia ser melhor que uma boa festa? É certo que as melhores são aquelas que simplesmente acontecem. Todo bom festeiro sabe como é: bastou o cansaço da semana, calor ou frio, não importa. Mas no calor dá para espalhar a galera no quintal. Cada um traz sua meiaContinuar lendo “Festa, festa. festa…”

Farofeiros

Arlete Mendes- Domingo. A torcida para que fosse dia de sol era grande. Crianças e sábios praticavam as mandingas. Sol desenhado com sal no meio do quintal. Ovos e barra de sabão jogados em prece em cima do telhado. A busca por sete formigas vermelhas, seguida de um enterro com ladainhas: “formiga, formiguinha, leve oContinuar lendo “Farofeiros”

Presente do tempo

por Ana Karina Manson Faz-me companhia aquele que nem conheço, aquele que está longe e só ouço a voz. Nesses dias de relações restritas me ajuda a respirar aquele que está distante e de alguma forma toca minha mão. Sinto seus dedos se distanciarem. A cada passo só ouço o som dos meus sapatos, masContinuar lendo “Presente do tempo”

A santíssima Trindade

Arlete Mendes- Quem tem a alma agreste, plantada em solo de solidão, e ainda assim encontra sob a Terra, amigos, sabe o quanto são valorosos. Nunca tive um amigo que gostasse de mim, assim, logo de cara. Olhavam para meus espinhos, meu ensimesmamento, que me conferiam uma existência muito envelhecida para a juventude, e seContinuar lendo “A santíssima Trindade”

7-GATO-13

Carolina Tomoi – Onde andas? a bailarina preta e rosa hoje guerreira de foice e enxada na mão. 9343-1420. Teu silêncio me cala Tua ausência me rasga Nem tudo saiu como planejado Nossas missivas ad aeternum Só perpetuaram nos sonhos entre pipocas e gelados (que eles sim valiam a humilhação) A garota roendo gelo eContinuar lendo “7-GATO-13”