A MAREJADA E A CIRANDA DO MAR

JULIANA DA PAZ Sou planta adaptável, dou flor no sol ou em apartamento. Meu cheiro, à noite, chega à beira do mar, esteja onde estiver, vai se banhar de sal, e ouvir suas preces para que o mundo seja melhor. Fico ali catando pedrinhas, riscando a areia e lhe cantando coisas bonitas. Ele me entendeContinuar lendo “A MAREJADA E A CIRANDA DO MAR”