E AÍ, COMPANHEIRO?

Eu sei lá quantas voltas no coração, no juízo e na libido, nossos processos de formação, de sentir, de buscas internas nos dão até nos jogar no colo de alguém. O que determina a escolha? Estou aqui olhando você dormir igual ao nosso filho, ou ele igualzinho a você, e me questionando: o que meContinuar lendo “E AÍ, COMPANHEIRO?”

amor-só

“como qualquer mortal, que corriqueiramente se desencontra com a felicidade, encontra alívio nas suas invenções.” por Celane Tomaz é 5h33 da manhã e o sol já vence as frestas das janelas. invade.entre a consciência se desfazendo e se fazendo para começar um novo dia, entre os ossos que se estalam enquanto se estica e aindaContinuar lendo “amor-só”

Calcanhar

por Ana Karina Manson Quando eu era criança achava que terror era quando meu avô dizia que iria nos colocar (eu e meus primos) a dormir com o calcanhar para trás. Dava tanto medo! Tempos de inocência. Mais tarde me dei conta que pouco pensava no significado da ameaça, nem pensava onde estava o calcanhar.Continuar lendo “Calcanhar”

amor

“E, se atravessara o amor e o seu inferno, penteava-se agora diante do espelho, por um instante sem nenhum mundo no coração.” Clarice Lispector por Celane Tomaz “eu sou o amor”ouviu e paroudiante da frase dita pela protagonista do filme visto no cinema numa despretensiosa tarde de terça-feira. tantos olhos todos os dias podem nosContinuar lendo “amor”

a sós

por Celane Tomaz lembro-medas tantas que eu era, enquanto transito entre as outras e tateio seus mundos.mesmo assim, estou a sós. da minha noite, mesmo nos escuros do dia, adentro a luz que me devolve a mim, a luz que me gera, a luz que me lembra que estou viva.dou a mim da minha própriaContinuar lendo “a sós”

Emprestem-me um coração labareda

Por Jesuana Sampaio Alguém me empresta um coração? O meu, tá cansado. Talvez, só por hoje, por ontem.  Emprestem-me para o amanhã,  Para os sonhos meus, tão nossos. Emprestem-me um coração cheio de vigor juvenil, de esperança.  O meu tá um tantinho assim cansado.  Talvez do hoje, talvez incrédulo, talvez. Emprestem-me um coração labareda,  motim,Continuar lendo “Emprestem-me um coração labareda”

A palavra certa

~Raíssa Padial Corso “O amor nos faz sentir mais vivos, Quando vivemos num estado de desamor, sentimos que poderíamos muito bem estar mortos; tudo dentro de nós é silêncio e imobilidade.” Bell Hooks -Tudo sobre o amor, novas perspectivas, (2021, p.221) A palavra certa já estava dentro do meu ouvido. Não era nem meio diaContinuar lendo “A palavra certa”

Chama

Chama que ela atende, atenciosamente, te responde e te dá toda a atenção. Chama, que ela conta tudo, o que deseja para si e para o mundo. Chama, porque ela não só sabe das coisas, mas resolve tudo assim, numa chamada só. Chama mesmo, porque se não for suficiente, ela chama quem pode ajudar. ChamaContinuar lendo “Chama”

Eu saúdo Eva

~Por Raíssa Padial Corso Eu saúdo Eva!A primeira ousada.Construo em mim um templo de conhecimento.Nesse altar sacrifíco todos os dogmas.Tu amada, tão deturpada e deslocada entre suas filhas!Na eterna busca de tua contraparte.Eva com seu gosto de maçã.A mesma maçã que intercala nossos corpos.Tu que rasga a cara de quem interrompe nossas falas, calcula nossasContinuar lendo “Eu saúdo Eva”

Deus dos que matam os que tem fome.

-Mara Esteves 28 de fevereiro. Último dia de um mês que o ritual da catarse carnavalesca não veio. Sinto que sem o carnaval não há quaresma. Não há redenção e nem o equilíbrio entre o profano e o sagrado. Parece até que Deus nos abandonou. Ou pior, desistiu de nós. Custa muito acreditar que oContinuar lendo “Deus dos que matam os que tem fome.”

As palavras

As vezes meu peito se inflama   De um aperto desesperador  Alguns chamam de saudades  Não é sobre lembrar do tempo Em que você esteve aqui  A falta que me mata  É recordar de quem eu fui Naqueles dias ensolarados  A dor da perda é saber  Que  quando você fez suas malas  Levou por engano  meus Utensílios Fé,Continuar lendo “As palavras”

Um Brasil sem carnaval

-Mara Esteves “Eu não vou chorar Senão a maquiagem vai borrar Lúcifer está batendo em minha porta PEC, PEC, PEC, PEC, PEC que pariu PEC, PEC, PEC deram um GOLPE no Brasil”. ( Marchinha: Agora Vai é Pé no Chão e Rua – Bloco Agora Vai/ Ano 2017) Neste ano o apito, o tambor eContinuar lendo “Um Brasil sem carnaval”

Queria um dia de sol

por Celane Tomaz queria um dia de soldaqueles que me faz esquecera nebulosidade de serque faz sentir na pelea vivacidade de existire arder o lugarque ocupo. queria um dia de solmodificando a cor da epiderme,sentindo lentamente meu corpofiltrando o calor de estar no mundo. queria um dia de sola vida acesa nas vozes,no concreto queContinuar lendo “Queria um dia de sol”