Indefinida!

Jesuana Sampaio O que ganho sendo tão incerta? O que faz de mim campo germinado de dúvidas? Ser inexata me define tão intensamente que não cabe a mim reconhecer tal feito. A não ser pela única certeza, de que sou dúvida. Por isso, inexata, indefinida como ser. O que sou enquanto inconstância em efervescência? OContinuar lendo “Indefinida!”

Somos nós que embucetamos o mundo

Por Jesuana Sampaio Quem sabe do tanto de mundo que carregaUma história,Uma vida,Um ventre,Uma vagina,Um corpo,Um ser? Quem sabe da dor, do sentirDessa história,Dessa vida,Desse ventre,Dessa vagina,Desse corpo, Desse ser? Quem sabe de todas as violênciasNessa história,Nessa vida,Nesse ventre,Nessa vagina,Nesse corpo,Nesse ser? Quem sabe a força do grito?Quem grita?Quem escuta?Grito é só o ranger deContinuar lendo “Somos nós que embucetamos o mundo”

A minha criança

Jesuana Sampaio Certo dia um mago me disse que deveríamos saber qual o primeiro chá que tomamos na vida para assim nos conectarmos com a nossa criança interior. Peço licença a criança que fui para tomar mais uma vez o chá de erva doce e voltar no tempo para ninar a criança ferida que meContinuar lendo “A minha criança”

Sumário de mim

Jesuana Sampaio Se eu pudesse te entregaria um sumário de mim. Te contaria cada capítulo, verso, de quem fui até aqui. Cada parte da minha história, cada suspeita do que desejei ser, ter ou não ser, não ter. Te diria qual música faz minha alma vibrar, ou quais os meus poemas preferidos ou quando euContinuar lendo “Sumário de mim”

Longe de nós todos os Adões

Jesuana Sampaio Deusa fecunda que se estupra, não aqui. Roubo da alma feminina, não aqui. Grande útero renegado, não aqui. Símbolos da humanidade que se perpetuam, jornadas, acessos, oroboros, ouroboros, uróboros, devora a si, morde ad infinitum, alquimia cíclica que cria universos, árvores proibidas de Lilith’s insubmissas. longe de nós todos os Adões choramingando pequenosContinuar lendo “Longe de nós todos os Adões”

Ruar

Jesuana Sampaio Por eu ser terra não queira me ver com raízes fincadas em um único solo Minhas raízes já se espalharam. O mundo é minha casa. Já estou na copa de minha árvore Sendo levada pelo vento Para outras pairagens. sou terra e sonho acarinhar todos os solos sem fronteiras, sem arames nem farpas.Continuar lendo “Ruar”

Evoco as forças Sagradas

Jesuana Sampaio Eu evoco o retorno do matriarcado. Evoco a donzela, a mãe, a feiticeira, a anciã para fazer cair todo o domínio de dor das mãos do patriarcado. Evoco minhas irmãs de todas as gerações antes de mim através dos tempos e todas as que virão através dos tempos. Evoco as forças sagradas daContinuar lendo “Evoco as forças Sagradas”

Liberdade de viver

Jesuana Sampaio Ilustração: Pennen de Castro (artista cearense) “libertar” era uma palavra imensa, cheia de mistérios e dores”           “A liberdade ofende.” Clarice Lispector Aqui estou eu.Está é minha alma. Vês?Meu corpo sutil levita Em uma frequência desconhecida por mim. Sentes? Essa sou eu. Um ser à procura de um encontro espiritual Entre seres, universos.SeContinuar lendo “Liberdade de viver”

O Sabor que tem o Sim

Jesuana Sampaio Eu quero gritar aos quatro ventos teu nome junto ao meu. Quero nossas mãos dadas na rua, na passarela de concreto feita para a tua liberdade. Eu quero preencher o teu dedo com meu compromisso e ver no teu riso o sabor que tem o sim. Eu quero afrontar o mundo a teuContinuar lendo “O Sabor que tem o Sim”

Bemtivi nuvem de pipa

Jesuana Sampaio – No canto do bem-te-viestavaminha ideia de romancedesses incompletosfeitopipa de folha de cadernoquea gentechamavadebolachinha.No talo da flor de boldo estava meu paladar amargofeitofim de festa,fim de um amor,Que a gente teima em não esquecer. Na nuvem esbranquiçadaestavameu olhar astigmáticofeitoLembrança da quinta sériePaixonites não declaradas,Invenções de línguas estranhas.Bemtivi nuvem de pipaNo cantoNo taloNo olhoFeitoContinuar lendo “Bemtivi nuvem de pipa”

Ser Eu

Jesuana Sampaio – Quando cheguei a 4 anos atrás para moram em São Paulo, trazia os olhos inchados de tanto choro desaguado na noite anterior de um setembro beirando a primavera. Trazia também a culpa e o sentimento latente de que eu estava sendo egoísta. Nunca precisou ninguém me julgar, sempre fui juíza feroz deContinuar lendo “Ser Eu”

Quem pode escutar o corpo ?

Jesuana Sampaio – Todo mês meu corpo reclama porque ainda não sou mãe. Os seios reclamam em displasias por ainda não terem alimentado a boca faminta de uma criança. O útero sangra em cólicas paralisantes que sinalizam algo de errado no fluxo. Todo mês eu luto para não endemonizar meu ciclo, para entender meu corpoContinuar lendo “Quem pode escutar o corpo ?”

Cordiforme

Jesuana Sampaio Antes que mares revoltos me roubem a paz, eu quero navegar em teus beijos e brotar na tua boca um desejo de sempre. Talvez, assim, desejante de teus cheiros, eu, enfim, não fuja da entrega. Antes que o medo me paralise, eu quero arrepiar tua pele e alimentar de suspiros duradouros teus ouvidos.Continuar lendo “Cordiforme”

Mulher Sábia

Jesuana Sampaio- Tenho memórias de mim tão bonitas que superam todas as que foram dolorosas. Deve ser teimosia cearense. Estes dias estava lembrando que mais ou menos com 17 anos eu dizia que era bruxa e sabia mover os ventos. Eu não entendia porque entre tantos poderes o meu escolhido envolvia o vento, em porqueContinuar lendo “Mulher Sábia”