Todos os dias um Jesus nasce nas periferias

Por Jesuana Sampaio

“Gosto de pensar o natal como um ato de subversão, um menino pobre, uma mãe solteira, um pai adotivo…”

Dom Helder Câmara

Ilustração: Ateliê15

Todos os dias

um bem-te-vi desconhecido

me dá bom dia…

Todos os dias um Jesus nasce nas periferias,

Empobrecido por um sistema opressor

E desigual.

Filho de mãe solteira,

Sem o pai presente ou com pai adotivo,

Ou já nascido no abandono medroso da frágil paternidade.

Talvez novos Jesus nasçam

Para nos lembrar de acreditar na humanidade,

De que há de se enfrentar o sistema

E os hipócritas de plantão.

Todos os dias Marias são forçadas a fugir

E se refugiar em terra alheia que não lhes aceita.

Forçadas a enfrentar preconceitos e as injustiças sociais.

Talvez novas marias enfrentem a vida para nos lembrar da rebeldia necessária

Pois não há outra forma quando se é mulher.

Todos os dias um José duvida da paternidade de um filho,

Mas não é todo dia que Josés aceitam ser pais adotivos.

Talvez novos Josés precisem existir

Para nos fazer acreditar no amor incondicional

Que ama e ama.

Todos os dias um bem-te-vi desconhecido me dá bom dia.

Ele me lembra que não é o humano o centro do universo,

No seu canto também lembro que sutilezas chegam aos desconhecidos.

Talvez ele cante só porque canta mesmo

E seja a minha alma de poeta que tenta capturar no seu canto

Algo de extraordinário no que há de mais ordinário do dia.

Todos os dias

um bem-te-vi desconhecido

me dá bom dia.

Todos os dias um Jesus nasce nas periferias…

Música: Pai nosso dos mártires – Pe. Cirineu Kuhn

8 comentários em “Todos os dias um Jesus nasce nas periferias

  1. O canto do bem-te-vi tem tanto significado para mim… Hoje, quando ouço, sinto minha avó, parece um recado que vem de longe, mas sempre perto.
    E seu texto traz questionamentos tão necessários! Há pessoas louvando um Jesus que condenam diariamente nas pessoas ao redor.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Jesu,
    Você é a força das Marias e tua alma de poeta capta o canto dos bem-te-vis, dos colibris, e o seu próprio canto.
    Nasce de você, a poesia-manjedoura, que acolhe as palavras que, assim como Jesus, são a salvação deste mundo.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta para Elisabete Melo Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: