Fragmentário viver

Por Juliana da Paz

Tenho vivido a poesia em mim, no mundo e nas ideias. Muitas ideias. O cansaço dos dias, mesmo este, tem sido um bálsamo de humanidade no dia-adia que se passa.

Cenas figuram e inesperados se precipitam em minha corrida contra o tempo, sem-dinheiro, indecisão, congestionamento, Mãe, insônia, amor-cadê-você?, desculpa, que alegria, que saudade, delícia, gratidão, lindeza de filho, escreve, escreve, lê mais um pouco, cachoeira, mar, ipê rosa, mergulho, peixinho, tem que regar, retoma o projeto, é muito bom, achei sem querer, procurei por meses, vem dar um abraço, meu colo não cabe mais, escreve, escreve, faz mais um vídeo, assina aqui…

Escorrega entre os dedos,

por entre os vãos, vão!

Pulam no chão

E voltam p’ra mão…

O que joguei para o alto,

O que cuspi p’ra cima

Gota por gota

Me deixa molhada

Ensaboada,

Escorregadia,

Desajeitada,

Experiente na queda e

Calma

Peça-por peça…

Monto esse quebra-cabeças.

!

Ouça na voz de Juliana da Paz

14 comentários em “Fragmentário viver

  1. Penso aqui que tenho tirado poucas fotografias nesse período. Talvez porque tenham que ser estáticas, de interiores, naturezas-mortas. As nossas grandes histórias nestes tempos terão que ser contadas assim, não como filmes ou romances, mas como quebra-cabeças…

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: