Ela

Preta Velha por Luís Rodrigues D’Oxossi

por Ana Karina Manson

Quando ela abriu o portão uma avalanche de passado, de histórias e saudades surgiu.

Uma senhorinha com seus 98 anos trazia consigo tanto de si e de tantos, que o coração palpitou e os olhos marejaram. Eu e ele voltamos ao “tempo da delicadeza”. Éramos tão puros e felizes quando ouvíamos aquela máquina do tempo em nosso cotidiano e agora a tínhamos novamente em nossa frente nos olhando como se fôssemos uma visita do passado.

Aos 98 anos certamente se tem mais passado do que futuro e o que poderia assustar foi para nós um colo ao passarmos uma manhã ouvindo suas histórias, seus sonhos realizados e outros não, seu caminhar com erros e acertos. Era como se nos dissesse: “vai ficar tudo bem”.

Ela carregava em seus ombros, em seus olhos, em sua voz o peso da mulher que, ainda menina, foi sozinha construir seu caminho com toda força que uma mulher preta precisava.

Entre tantas lembranças que lhe chegavam e como uma canção do tempo dividia conosco, havia sempre um mistério sobre o que nunca poderia dizer, daquilo que não fora aceito num passado ainda mais rigoroso do que nossos dias ainda tão cheio de preconceitos.

Ela entendia bem de mistérios; dos delas e dos nossos. Quantas vezes me olhou nos olhos e me sabia e me segredava.

Agora ela era esse filme que assistíamos numa sessão exclusiva. Num tempo em que o mundo está conectado por telas, tê-la ali em nossa frente era um tesouro que a vida nos trouxe. Era um presente além do que poderíamos imaginar. Enquanto ouvia, pensava que em alguns momentos fomos bons, muito bons para ganhar este prêmio da vida.

Sua energia, sua disposição que sempre nos mostrara agora não era a mesma, mas estava lá! Podia não ter a mesma força nos braços agora finos e frágeis, porém tinha o poder da vontade própria, da força de seu verdadeiro desejo em detrimento das vontades hipócritas da sociedade.

De repente me dei conta que como em outros tempos em que me fizera olhar o futuro, agora também me levava a fazer planos. Já imaginava a festa que poderíamos preparar em seus 99 anos, convidando outros amigos que certamente ficaram fascinados, tanto quanto eu, em revê-la. Mais uma vez ela me mostrava que viver é olhar o futuro, é desejar, querer, sonhar e construir. De repente seus 98 anos eram leves diante das possibilidades dos próximos dias. Ela me mostrava que a vida é essa possibilidade, que nem sempre percebemos e distraídos até deixamos escapar.

Ela era essa história atenta, ativa, viva e dividia conosco o que transbordava em sabedoria, em verdades, em amor.

— Wunderbar! – ela nos dizia, relembrando o que aprendera em alemão quando trabalhou como doméstica na casa de uma família alemã, cuja fotografia ainda guardava e ela lá estava em pé acompanhando os patrões, que a chamavam de “bonequinha de chocolate”.

Estava retratado ali como parte de nossa sociedade fora construída e como destinos e caminhos foram determinados por esta desigualdade já posta desde o início e que ainda tantos querem manter.

Ela soube e sentiu que precisava sair das próximas fotografias daquela família e de outras e, como já fizera antes, agarrara seu destino e construiu seu canto, seu futuro, sua vida. Por isso, abrira para nós o portão de sua casa, que construiu sozinha com tanto esforço e dedicação; por isso abrira para nós seu olhar, seu coração, sua voz como quem é dona de si, como quem soube e sabe viver reconhecendo cada passo certo ou errado, mas seus passos, suas escolhas.

7 comentários em “Ela

      1. Ao lê o texto sobre preta velha, o que me chamou atenção foi,… Ao 98 anos certamente se tem mais passado do que futuro. E eu concordo plenamente, por que o passado nós sabemos de côr, o futuro não se sabe o que está por vir, pode ser um laço o um nó, um abraço,ou algo pior. O futuro é inocente, o passado é presente.

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: