A Estação de trem

Fotografia de: Edson Moraes Moraes


Acho que parei no tempo e não percebi  que o tempo não parou em mim,  as estações mudaram,  o trem partiu inúmeras e incontáveis vezes,  embarcações chegaram no cais as ondas morreram na praia, a lua mudou de fases, os planetas se alinharam em diferentes órbitas, até as linhas do destino das minhas mãos mudaram de direção.

Por medo ou crenças eu permaneci ali parada, me despedia de quem embarcava  no trem e abraça quem chegava na estação, era um peso imenso a solidão, brincava com meus fantasmas e dizia que quem partia eu conhecia  e esperava a chegada de quem eu amava, O meu cotidiano resumiu-se em religiosamente observar o movimento na estação de trem, sentia nos pés a dor da morte das ondas rebentando na areia da praia, olhava aos céus com os olhos cada vez menores   até a vida ia mais eu ficava. Fica e não sei se por medo de partir ou esperança de dias melhores,  com o discurso forte de que tenho as rédeas da minha vida, quando  carrego nas costas curvada o peso do meu nada, o quase cheguei lá mais sempre perdia a hora,   estava sempre atrasada porque tive medo de olhar pro relógio e ver a vida passar, sou inimiga do tempo,e seus amantes, sou Inimiga do amor  e de seus protegidos. Crio imagens a partir das manchas do mofo na parede  do meu quarto, tento nelas encontrar qualquer outra coisa , sinais respostas ou proteção e quando o tédio da mesmice me faz dispersar dos meus sentidos reais num ferido que não tenho nada programado, nunca recebi visitas, ou ligações no meio da noite  e percebo o quanto sou o nada, nem vejo minhas sombras. Solitude  companheira  de momentos infindáveis, hipocrisia minha quando digo gostar da minha própria companhia, acontece  que fiz uma vida inteira em algumas horas, sedenta  bebi a vida inteira num gole desesperado, sonhava em ser eternamente jovem e salvar o mundo, não fui capaz de salvar a mim, acreditei merecer mais que uma mera mortal que sou merece, não fiz uma única escolha certa na minha vida, amei o vazio e hoje  quero que os dias passem de pressa sem passar!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: