Gestar

Esperança II, de Gustav Klimt

Depois que um corpo comporta outro corpo, nenhum coração suporta o pouco.

Alice Ruiz

por Celane Tomaz

Gerar é entrar em contato com a vida da forma mais crua e humana. O corpo dá forma a outro corpo – tão potente e presente, com a força e a ousadia de estar neste mundo. O corpo que sustenta outro corpo. Gestar é vida em espera ao alcance da sua plenitude. A perfeição desde a conexão entre cordões, pele, veias e sentidos que ambos os corpos constroem. Corpo singular que se transforma em plural. O corpo que se debruça na espera e cresce.
O corpo da mulher silencia, enquanto dentro há intenso trabalho e barulho.
O corpo que gera novas estruturas. O corpo-base fundamental do existir.
É profundo se perceber como organismo
de potência e força que nutre. Corpo que forma outros ossos, reveste em pele, que desenha as linhas e os traços, dá aos dedos a sensibilidade e o toque, vigor à matéria para se exercer livre, dando-lhe o movimento.

Corpo que se concede, apesar de pertencer-se. Corpo que pelos seus órgãos dá a outros órgãos, que do peito bombeia o sangue que vivifica a existência recém-latejante em outras veias – vivos organismos que se gestam. E do mesmo peito gesta o amor.
Entre dores, transformação, expansão se molda uma vida única. Entre renúncias, incômodos e esperas se pari a dádiva sublime que é viver.
Do corpo da mulher se nasce um ser, que também lutará para ser. O corpo da mulher oprime o medo.
O corpo de uma mulher gesta por inteiro. Gesta um sentir, gesta um pensar, gesta o intocável e o imaterial. Gesta a consciência da própria existência. Gera sua intensidade, sua natureza atenta e visceral. Gesta o que tem tornado a ser. Gesta seus sonhos, gesta seus desejos, gesta suas vontades, gesta a sua liberdade e o seu próprio amor. Gesta o que lhe impulsiona, gesta seu tempo, gesta sua voz, gesta seu peso sobre o mundo. Gesta e resiste. Gesta vida. E a vida em todo o seu sentido.
Enquanto lê, gesta o que não cabe nessas linhas. Gesta enquanto se sente as contrações do parto.
Espera. Espera se formar para nascer. Espera que se nasça. Espera o que nasce. Faz a sua força no verbo parir.
O corpo da mulher é completo. E ela é sua natureza inteira e completa – de vida.

11 comentários em “Gestar

  1. Que sensibilidade….poetizou um momento muito sublime para mulher (Gerar).Com suas palavras me remeti as memórias dos momentos em que pude ter esse privilégio de trazer uma vida ao mundo. Amei!!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: