Quando o amor acaba

foto:Brooke Shaden 

De braços abertos  como quem recebe o mundo, me preguei numa cruz e fui flagelada feito Jesus , que morreu por amor aos que nunca  o teve amor, perdoou quem nunca mereceu e nem pediu seu perdão, escrito nas profecias das profundezas do teus olhos,  Judas que és, fui traída com o beijo mais doce de amor. Só que eu não sou filha unigênita do Homem, desço da Cruz, nem mesmo as mentiras da Serpente  foram tão cruéis quanto a de gente humana. Depois do terceiro ano eu ressuscitei, da minha morte em vida,  vi meus restos pelo chão, foi preciso ter a cegueira dos teus olhos pra enfim enxergar a luz … E o tempo perdido na intensão de entender o propósito do meu martírio , era tarde de mais , a vida é pra frente, as lágrimas corridas são rios, oceanos e mares, os ponteiros do relógio cavalgam no deslanchar de um novo dia,  eu estava me desprendendo da morte e indo de encontro com a minha própria vida, era muita água e com uma simples gota o copo transbordou, levou assim a cruz, a vergonha, as mentiras, a dor, e consequentemente o amor. O meu amor era o único de seus pertences que não era perecível com data e hora pra acabar , e suas três moedas de troca por me entregar e me delatar,  um dia irão acabar, hoje ainda te pagam o ego inflado e inocência da falta de culpa por nunca ter  me amado.  Como sacrifico no alta revestido de pureza eu te entrei amor  e você falsidade, eu tecia sua vida com doces palavras e você me mantida ao seu redor por vaidade, eu te enaltecia, fiz altar, te coloque pra adormecer nos braços de Deus e nem precisou do cantar do galo pra você  me negar , e quanta prepotência comparar minha historia  com a do Filho do Homem, mais é que meu amor era tão sagrado e benevolente,  amor assim eu só conheci os dos anjos e quando eu ainda era um deles e morava no paraíso.

Sei também que um dia vasculhando suas gavetas organizadas de contas pagas, vais encontrar as contas que lhe fiz, pelos danos que me causou na alma, não sei quantas vidas vai levar pra pagar o preço por me deixar sangrando na cruz como tua Santa Emaculada.  Eu conheço de cor meus erros e meus pecados, comemos juntos essa maçã Adão, então porque só eu tenho que sair do paraíso ? 

Eu não lhe tenho odeio, sou fraca de mais pra carregar o peso de odiar entretanto também  não lhe tenho nada, nem mesmo  ouro ou moedas de  pratas guardas,  eu estou nua andando no deserto descalça, seguindo a minha própria estrada, eu quase flutuo quando olho pros lados nem sobra tenho, carrego hoje comigo o vazio e uma alma completamente lava!

O fim de um grade amor, é o recomeça de uma linda vida !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: