Caminhante

Imagem retirada do site http://www.gratoportudo.com.br

– Mara Esteves

Se eu pudesse subverter o mundo, 

juntaria as placas tectônicas novamente

e atravessaria fronteiras em liberdade, 

deixando que o desejo seja força motriz para o meu caminhar ao seu encontro.

Se eu pudesse inverter a lógica,

a ordem do dia a dia a lutar por pão, abrigo e partilha

Tiraria o peso das costas das mulheres reconhecidas como guerreiras, de fibra, que lutam para parir sonhos coletivos 

que desde o surgimento da humanidade, traz em si, o peso de carregar as demandas do mundo em suas costas 

mesmo que isso custe seus próprios desejos mais íntimos.

Se eu pudesse alterar o passado

Estaria em luta 

Ao seu lado. 

4 comentários em “Caminhante

  1. Mara, que sonho lindo e colossal, desconfio que não foi Atila o castigado a carregar o peso do mundo em suas costas, tua poesia ,um alívio, pedido apaixonado de quem ama o outro para além de si, é um eu te ajudo a carregar, não estamos sozinhas! Lindo e revolucionário.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: