A verdade estampada na cara

Imagem: Hailey Sterling.

Elisa Dias –

Hoje eu acordei sufocada de meus próprios desejos que foram abafados como choro de amor por um travesseiro.

Hoje eu me deparei com meu rosto no espelho, acabado e marcado com os sonhos que a vida me fez sonhar e deixar pra outra hora!

Vendo a feiura envelhecer na face desse resto de mulher, que foi mutilada, por todo tipo de abuso da vida, mulher escarrada nesse mundo, nascia apenas pra ser mulher, pra parir!

Eu tenho vontade de gritar para o mundo todo ouvir. Já não suporto mais essa voz dentro do meu ser, rasgando peito afora, como facas finas, pedindo e implorando por um minuto de sua atenção.

Você me olha, mas não vê a mim, vê apenas os destroços em uma cara mal pintada, uma barriga d´água, um joelho torto, de carga pesada da vida.

Eu tenho o desejo de beber o mundo em um único gole pra não sobrar mais nada dele, pra acabar com toda tortura que não pertence só a mim!

Eu tenho saudades do que nunca fui, e de um lugar que nuca vivi! Criei essas imagens pra fugir da desgraceira que é a realidade.

Hoje eu acordei sufocada pelo peso daquele homem, que cheira a roça e pinga, hoje acordei açoitada pelas mãos calejadas de um homem que cheira graxa e todos os dias cheira a mulher diferente. E eu ainda quero gritar porque o mundo está surdo e não ouve, não me vê, e eu não me vejo como o mundo eme vê!

Eu tenho um desejo de sufocar meu choro com travesseiros, como se ele fosse choro de amor, e engolir todas as facas que me cortam o peito.

Eu tenho o desejo de ser mulher escarrada e cuspida nesse mundo, e fazer aquilo que nasci pra fazer, pra ser açoitada e gostar das mãos ásperas e calejadas que amassam meu seios caídos como massa de pão, pra pintar minha cara feia mal pintada.

Hoje, eu acordei com o desejo e não abri os olhos pra ver no espelho um resto de mulher açoitada, abusada, acabada, a puta do mundo, o escarro da privada, a esposa de todo marido, a mal amada, a mal comida, a fodida pelo pau do mundo! 

5 comentários em “A verdade estampada na cara

  1. Elisa, como transformar a revolta, a repressão e a dor da humilhação em força pra lutar? Deve mesmo ser das entranhas, de dentro de nosso âmago, nossos úteros que parem essa força. Muito bom ser lembrada que toda mulher pode💪🏽💪🏽

    Curtir

  2. Meu alento é que esse grito ecoa em outras mulheres, não todas ainda, porém mais do que no tempo de minhas antepassadas. É preciso fortalecer essa voz que estão a todo tempo querendo calar! Que bom que tenho mulheres fortes ao meu lado para sempre somar essa voz, esse grito!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: