Areia

Josafá Neves — Nossa Senhora Aparecida, 2017 — 200 x 300 x 3 cm. Em https://medium.com/@artikin

Thata Alves

Terra que não germina,
não cria raiz.
Não fertiliza…
É Como se fosse terra estéril.
É como se fosse
bicho de pena que não voa.
Galinha é bicho de pena que não voa.
Nossa retina se acostumou a olhar problemas e não soluções.
Imersos nessa areia movediça,
que é olhar de apenas uma perspectiva,
não vemos que a galinha não voa.
É óvulo, ovo, cíclico…
Vemos como se um grão não fosse praia…
Como se um parafuso não fosse construção…
A areia é como se fosse terra estéril,
que não enraíza baobá.
Mas areia também é tão nobre,
que o mar presenteia com conchas.
Entrega-as com cortejo…
É o beijo do mar na areia,
a orla da saia do mar são as ondas.
O deserto é privilégio…
De enxergar-se dentro.
É a magnitude do ouvi-se.
É a não espera pelo Oasis.
Vi-me pequena várias vezes…
Depois descobri-me imensidão.
Dentro de meus olhos, Iemanjá
com Ewa, transformação.
Lágrima seca é sal,
não existe areia doce.
A areia já foi rocha…
Areia é Sango,
que por ação de suas esposas,
Vento Oyá , Água Osun,
se consiste.
Areia, lida como nada,
Associada a solidão.
Mas é grão que adentra ostra
Que logo mostra transformação.
E com areia se fez:
Brilho!!!


8 comentários em “Areia

  1. Revirar a areia do avesso no tempo e no espaço, no contexto e nas simbologias associadas, Thata. A gente devia fazer com tudo em que “põe sentido” o que você faz aqui com ela. Um grão de areia é praia… maravilhoso. Obrigada.

    Curtir

  2. Lindo! Me fez olhar para o grão, o pequeno e perceber que cada um é importante para o todo… me fez viajar pensando em cada vida, em cada mulher, em cada ser vivo… “ubuntu.

    Curtir

  3. Me lembrei de um causo, da última vez que estive em minha terra, levei minha pequena para conhecer a bisa, caminhei com ela pela Beira Mar e dei-lhe o primeiro caju, ela devorou e se labuzou todinha. Achei tão lindo tudo aquilo que guardei a castanha de lembrança, chegando a SP eu a plantei num vaso, e não é que a bichinha danou a crescer. Quando vim para Cotia a plantei com toda esperança. Não deu um mês, ela morreu.. Fiquei tão triste, meu vizinho disse que eu não tinha esquentado a terra, eu retruquei dizendo que havia plantado no ponto mais ensolarado. Ele explicou que devia ter esquentado com areia.Areia era tudo que ele precisava. Ele morreu de saudade da terra arenosa. Talvez seja tudo o que eu mais precise, submergir na quentura macia de um areal…

    Curtir

    1. Nossa que emocionanete ler sua estoria, ela por si só ja é um conto !
      Um grao de areia de fato faz revolução.
      Eu sempre fico pensando na ampulheta, se houvesse 1 grao a menos , o tempo seria diferente?

      ….

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: