Página inicial

janelas

porque janela você olha que grades te agradam encenas o que te encanta ver há quadros que te enquadram em margens que flutues marchas que descarregam em ondas em ventos que refresquem o próprio ser porque janela o sol te olha porque janelas te atreves te ver

Minh’alma

por Lys Viana Minh’alma reconhece a sua, E isso é inevitável! Tento achar palavras coerentes Contundentes Que me faça não acreditar nisso Pensar em outra coisa, Não sentir saudades Inevitável baby, Inevitável! I see you, Até de olhos fechados Sinto você Dentro de mim Emoção. Bate o coração, Num ritmo descompassado. Até que se acalmaContinuar lendo “Minh’alma”

Rosas ao tempo

Por Jesuana Sampaio Roubei rosas brancas para rezar ao tempo Cravei lágrimas ao lembrar das desgraças soltei sorrisos à passagem das alegrias, agradeci. Revivi ruínas de todas que fui aquelas que partiram rasgando adeuses versões desgastadas não renovadas, agradeci. Rememorei os amores vividos a exaustão aqueles que chegaram ao ponto da perda de dignidade penseiContinuar lendo “Rosas ao tempo”

Carta a uma amiga

Por Jesuana Sampaio ” ei amigo sol o vosso brilho tem um porquê, porque da vida, porque da sorte, além da morte, isso é viver, porque da vida, porque da sorte, além da morte, compreender …” Marlon Luz e Raíssa Padial Corso Minha amiga querida, Talvez me faltem as palavras de esperança que eu tantoContinuar lendo “Carta a uma amiga”

E AÍ, COMPANHEIRO?

Eu sei lá quantas voltas no coração, no juízo e na libido, nossos processos de formação, de sentir, de buscas internas nos dão até nos jogar no colo de alguém. O que determina a escolha? Estou aqui olhando você dormir igual ao nosso filho, ou ele igualzinho a você, e me questionando: o que meContinuar lendo “E AÍ, COMPANHEIRO?”

amor-só

“como qualquer mortal, que corriqueiramente se desencontra com a felicidade, encontra alívio nas suas invenções.” por Celane Tomaz é 5h33 da manhã e o sol já vence as frestas das janelas. invade.entre a consciência se desfazendo e se fazendo para começar um novo dia, entre os ossos que se estalam enquanto se estica e aindaContinuar lendo “amor-só”

Sol, Lua

por Ana Karina Manson Um dia ela nasceu em outra vida e já não pode ser a mesma. Nunca mais. Seus olhos neblinaram e nunca mais viu o sol nascer nos azuis. Sorria, mesmo sem sol. A lua ainda iluminava suas noites insones. Já não sonhava futuro. Nascer sempre doía. Sangrava. E não se podeContinuar lendo “Sol, Lua”

mulher desperta

Jesuana Sampaio Procura-me quando não estou e não me achasquando estou ao alcance do teu abraço.Entendes o amor fraternal que sentes por mimmas não o amor companheiro, evolutivo e sagrado.A cada passo, polegadas astrais de distância.Lentos os desatares dos nós criados nas pendências carmáticas.Desatas todos os enlaces que, por ventura,trouxeram uma visão deturpada do amor,IlusóriosContinuar lendo “mulher desperta”

Vermelhos

Carolina Tomoi – A mulher transforma-se gradativamente. E de objeto da tragédia masculina converte-se em sujeito de sua própria tragédia. Alexandra Kolontai, A Nova Mulher e a Moral Sexual Um telefonema a acordou. Estivera bem? Chegara bem em casa? Explicou que sim, excetuando as típicas dores nos pés após as caminhadas do dia anterior. MasContinuar lendo “Vermelhos”

%d blogueiros gostam disto: